domingo, fevereiro 10, 2008

Cartas de amor

A próxima semana é a semana em que os apaixonados, andam ainda mais apaixonados (um bocado ridiculo, mas enfim...), em que alguns que ainda não tem namorado (a) fazem de tudo para no dia (14 ) ter alguém (que coisa mais falsa), enfim... é a semana em que os corações batem a mil e os comerciantes aproveitam a altura como ninguém... se não acreditam é só dar uma voltinha pelas montras e ver...
Aproveitando a onda, esta semana vou deixar aqui algumas situações relacionadas com amor e como ao longo dos tempos as histórias de amor podem ser diferentes.

Hoje vou deixar aqui uma das famosas poesia de Àlvaro de Campos (heterónimo de Fernando Pessoa):


Todas as cartas de amor são ridículas


Todas as cartas de amor são

Ridículas.

Não seriam cartas de amor se não fossem

Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,

Como as outras,

Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,

Têm de ser

Ridículas.

Mas, afinal,

Só as criaturas que nunca escreveram

Cartas de amor

É que sãoRidículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia

Sem dar por isso

Cartas de amor

Ridículas.

A verdade é que hoje

As minhas memórias

Dessas cartas de amor

É que são

Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,

Como os sentimentos esdrúxulos,

São naturalmente

Ridículas.)


Álvaro de Campos, 21-10-1935

Sem comentários: