quinta-feira, outubro 25, 2007

Desculpem lá o "abandono"...

Olá, quem me visita deve andar a achar estranho eu não actualizar o blog há já vários dias.
Pois, eu realmente não ando com muita cabeça para mexer nos blogs, agora ando mais preocupada com algo mais importante... arranjar trabalho!
Infelizmente também faço parte das estatísticas do nosso país.
Mas não há-de ser nada, Deus é grande e ás vezes há males que vem por bem.
Tenho mãos e pernas para trabalhar e se Deus quiser em breve vou arranjar trabalho.
Até um dia destes, muitos beijos para que todos os que me têm apoiado neste momento menos bom...

terça-feira, outubro 16, 2007

Zapping à 01.00 da manhã...

A noite passada estava eu a fazer zapping aos meus quatro canais quando me deparo na RTP1, com o programa da Fátima Campos Ferreira, o "Prós e Contras".
O tema era a Guerra Colonial, achei interessante, mas tive pena de não ter visto o programa do ínicio, mas perante uma plateia cheia, consegui distinguir alguns ex-combatentes com visiveis marcas de guerra no corpo, sim, porque as da alma não se vêem.
Agora não sei se era pelo avançado da hora, mas tive a impressão que existia um convidado que se encontrava afectado devido a isso, logo o seu discurso e a sua capacidade de ser razoavél deixou muito a desejar... Tive pena de já não conseguir apanhar o nome do senhor, no entanto qual não é o meu espanto quando oiço dizer que a Guerra Colonial devia ter continuado e que era normal que tivessem morrido e ficado feridos homens, para além disto o ter ido buscar exemplos de outras batalhas de séculos passados, foi de facto qualquer coisa.... não tenho palavras!
Eu saltei da cama e disse "Porra, eu devo estar a alucinar!"
Este senhor vai ser "linchado" publicamente e realmente pouco faltou para tal acontecer...
Agora eu pergunto? Será que este senhor, que penso que terá patente militar, andou na mesma Guerra Colonial? Será que ele viu morrer algum homem, ou viu ficar sem pernas, braços outros mais?
Eu não gosto de me pronunciar sobre politica no Bluestrass, mas não consigo ficar indiferente perante declarações destas...
Este senhor é capaz de ter estado num sítio da Guerra onde se vivia a tal "Peace and Love" que tanto se falava nos anos 70. Ou então seria um daqueles que decidia tudo à sua bela maneira, sem ouvir quem realmente tinha experiência no campo e conduzia sem dó nem piedade os "seus" homens para emboscadas e quando os via por terra pensava "Olha... é a guerra."
Tenha vergonha das declarações que proferiu, tenha respeito por quem andou 13 anos sem pedir para lá estar e pelas familias que perderam os seus filhos e maridos lá...
Quanto aos expol
iados das Colónias Portuguesas, uma palavra para eles também
É realmente uma pena que tudo tenha sido feito como foi, mas se até ao 25 de Abril, os senhores tinham uma vida boa, digna, lembrem-se que os que cá estavam na Metropole, a maioria da população vivia mal, muitos sem essa tal dignidade.
Ainda sobre a questão da Gueera Colonial e os cemitérios em Angola, Moçambique, etc...
Não é só lá que é p
reciso intervir, cá em Portugal também temos casos desses!
O último que eu soube, foi no cemitério de Belas (Sintra), em que o talhão destinado à Liga dos Combatentes se encontra degradado. A pessoa que deparou com este triste espectáculo foi saber informações e a responsabilidade era de um senhor que dizia que não existir verba para pagar ao coveiro, para que as campas fossem cuidadas.
É muito mau... é para isto que os antigos combatentes pagam as suas cotas à Liga???

quinta-feira, outubro 11, 2007

Sugestões para o fim-de-semana

"A Desobidiência"
Conta a história do ousado cônsul Aristides de Sousa Mendes que serviu Portugal durante o regime de Salazar em Bordéus.
Este texto é baseado em factos reais, no entanto pelo meio da história aparecem algumas situações ficcionadas.
É uma obra homónima de Luiz Francisco Rebello, com encenação de Rui Mendes e participações de: Rogério Vieira, Carmen Santos, Diogo Amaral e Igor Sampaio, entre outros.
Para ver no Teatro da Trindade até 25 de Novembro.

Sweeney Tood, o terrível barbeiro de Fleet Street
O Teatro D. Maria II estreou ontem este thriller musical numa co-produção com o teatro Aberto.
Esta história é de autoria de Stephen Sondheim e foi adaptada por João Lourenço.
Sweeney Tood é um assassino em série disfarçado de barbeiro e utiliza precisamente as lâminas de barbear , para matar as suas vítimas.
Com participações de Mário Redondo, Marco Alves dos Santos e Carlos Guilherme, entre outros.
Para ver até 30 de Dezembro.

"Julgamento"
É o título do último filme de Leonel Vieira.
Com participações de Júlio César, Alexandra Lencastre, Carlos Santos, José Eduardo, Fernada Serrano, Joaquim Nicolau e o malogrado actor Henrique Viana (falecido no passado mês de Julho).
Este filme conta a história de Jaime e todos os seus "fantasmas" relacionados com a sua detenção pela Pide e consequente tortura.
Um filme a ver, para que quem não viveu esta época conturbada da nossa história, a perceba e dê valor à liberdade de expressão que hoje temos.
Num cinema perto de si.

Bom fim-de-semana.

domingo, outubro 07, 2007

Por entre tachos e panelas...

Esta semana para além das receitas, quero flar-vos um pouco da origem de um alimento que usa nesta altura do ano, a batata doce.
Nas próximas semanas vou trazer-vos outros alimentos típicos desta altura do ano, tais como: Castanhas, dióspiros, nozes, passas,etc...

(Pesquisa no site http://www1.folha.uol.com.br/ e http://www.hortalimpa.com.br/)
A batata doce é uma raiz de uma planta rasteira, originária do continente americano, que cresce sem necessitar de muitos cuidados especiais no seu cultivo.
Não é tão consumida como a batata normal, no entanto é bastante apreciada em vários países como o Brasil, Moçambique entre outros.
No Brasil, existe quatro tipos de batata doce, as diferenças encontram-se na polpa: batata-branca, conhecida também por angola ou terra-nova, a sua polpa é bastante seca e não é muito doce, a batata-amarela, bastante semelhante com a branca, mas com um sabor bastante mais doce, a batata-roxa em que a sua casca e polpa é arroxeada, esta é a mais apreciada pelo seu sabor e aroma agradáveis, a batata-doce-avermelhada, tem a casca parda e a polpa amarela com veios roxos ou avermelhados.
A batata-doce é rica em Vitamina C e A e ajuda no combate ao cancro, a sua casca é rica em fibras, logo ajuda a baixar o colesterol e ajuda também na digestão.

Agora deixo duas receitas com Batata-Doce.

Costeletas de Porco com Batatas-Doces e Maçãs
(Esta receita é Americana, mas o livro de onde tirei esta receita, não fala do tempero da carne, fala apenas de um puré de cebolas ???, mas não me parece que o hálito no fim da refeição seja o mais agradavél, por isso o tempero das costeletas é da minha autoria.)

Ingredientes:
- 4 a 6 Costeletas do fundo (são um pouco mais goradas que o habitual, mas como esta receita é feita no forno, não se tornam tão secas)
- Sal q.b.
- 2 Alhos picados
- Massab de Pimentão q.b.
- Vimhp branco ou cerveja
- Batatas-Doces q.b. (uma a duas por pessoa)
- Maçãs Reinetas q.b. (uma a duas por pessoa)
- Azeite q.b.
Preparação:
Tempere as costeletas com sal (tendo o cuidado de não colocar sal a mais pois a massa de pimentão já é bastante condimentada), o alho e o vinho branco.
Num tabuleiro coloque as costeletas, as batatas com pele e as maçãs descaroçadas.
Leve ao forno a assar.
Faça um molho com alho picado, massa de pimentão, vinho branco e azeite.
Sempre que a carne começar a secar, regue-a com este molho.
Bom apetite.

Doce de Batata Doce
Ingredientes:
- 1 Kg de Batata Doce
- Açúcar (O mesmo peso que a batata, já depois de cozida e passada)
- Baunilha para aromatizar
Preparação:
Lave as batatas e leve-as a cozer sem casca.
Passe-as no paase-vite como se fossem para fazer puré.
Pese as batatas, o peso obtido é a quantidade de açúcar que vai precisar.
Leve ao lume os dois ingredientes, mexendo sempre até aparecer o fundo da panela.
Antes de apagar o lume junte a baunilha.
Deixe arrefecer e corte-o.
Bom apetite.