sexta-feira, junho 17, 2011

As voltas da vida...

As voltas da vida são mesmo assim, até à um mês atrás não conseguia concentrar-me a ler um livro e isto acontecia pelo menos à quase quatro anos, muitos foram os livros e que não consegui terminar, pois a cabeça andava demasiado ocupada, com mil e uma coisas ao mesmo tempo.
A vida mudou um bocadinho... passei a trabalhar mais longe de casa, voltei a andar de metro e então para evitar dormir, leio...
É bom voltar a sentir-me com vontade de ler, quem sabe a seguir vem de novo a vontade de escrever, tenho saudades de o fazer. Lembro-me que nessa altura, observava tudo o que me rodeava, as pessoas na rua, nos transportes, lia tudo o que conseguia, jornais gratuitos, revistas actuais e com alguns meses, ia buscar inspiração nas coisas mais inimagináveis... não acredito que o consiga fazer dessa mesma maneira, mas não custa nada tentar!
Se andam de transportes públicos, já pensaram na quantidade de pessoas passam ao vosso lado todos os dias, já tentaram fazer exercício , de tentar perceber que pessoa terão ao vosso lado, em que pensará ela, já tentaram captar os sinais dessa pessoa (isto claro sem dar a entender segundas intenções...).
Hoje por exemplo tive um exemplo disso mesmo, no metro vinha um rapaz nos bancos da frente que era a reencarnação do Bob Marley, fazia mesmo impressão olhar, pois o rapaz apesar de não ser negro, era igual a ele! O que passará na cabeça deste rapaz para criar este "boneco"? Será que o fez para se afirmar perante a sociedade?
No outro dia, dei por mim a olhar fixamente para uma miúda que se vestia não mal, mas péssimamente mal e questionei-me se os pais a deixavam sair de casa naqueles preparos, calções de ganga (ou umas calças sujas cortadas a fazer de calções e ainda mais uns belos rasgões), umas meias de renda cheias de buracos e uns ténis tipo All Stars, que tinham mais porcaria em cima...
Enfim um quadro digno de louvar aos Deuses. Aquilo fez-me lembrar algo tipo Madonna, nos anos 80, mas do mais rasca possível, o problema é que nos últimos tempos já não é a primeira que vejo assim. Aquilo é o quê, um movimento das meias rotas, uma afirmação... que pânico! Sei que não devia de fazer juízos de valores, mas fez-me confusão, pronto!!
Mas andar de transportes públicos tem destas coisas, consegues ver de tudo, bom, mau, medíocre e é meio caminho andado para deixares a imaginação voar, para dentro das cabeças dessas pessoas...

quarta-feira, junho 01, 2011

A fada das crianças de Fernando Pessoa




A fada das crianças



Do seu longínquo reino cor-de-rosa,



Voando pela noite silenciosa,



A fada das crianças vem, luzindo.



Papoulas a coroam, e, cobrindo



Seu corpo todo, a tornam misteriosa.



À criança que dorme chega leve,



E, pondo-lhe na fronte a mão de neve,



Os seus cabelos de ouro acaricia



E sonhos lindos, como ninguém teve,



A sentir a criança principia.



E todos os brinquedos se transformam



Em coisas vivas, e um cortejo formam:



Cavalos e soldados e bonecas,



Ursos e pretos, que vêm, vão e tornam,



E palhaços que tocam em rabecas…



E há figuras pequenas e engraçadas



Que brincam e dão saltos e passadas…



Mas vem o dia, e, leve e graciosa,



Pé ante pé, volta a melhor das fadas



Ao seu longínquo reino cor-de-rosa.



Fernando Pessoa