sábado, abril 28, 2007

No Comment's

Qualquer dia ainda aparece aqui um que toca Mozart...lolol...

sexta-feira, abril 27, 2007

Sugestões para o fim-de-semana

"La vie en Rose"
Este é o título do filme que fala da vida da cantora Edith Piaf.
A actriz Marion Cottilard veste a pele desta grande senhora.
Este filme estreou nas nossas salas a 25 Abril e está nomeado para o Urso de Ouro no Festival Internacional de Berlim.

Mia Couto no D. Maria II
"Vinte e cinco" é o nome da peça de teatro que está no D.Maria II até dia 1 de Julho. Escrito por Mia Couto, esta história passa-se num piquenique em Moçambique, dias anteriores à revolução dos cravos.
Com encenação de Maria João Rocha e interpretações de Estrela Novais, Alda Gomes, Augusto Portela, Júlio Martin, Maria Amélia Matta e Vítor Ribeiro.
De 3ª Feira a sábado ás 22.00 horas e domingos ás 16.30 horas.

Camané no S.Luiz
De 27 de Abril a 6 de Maio pelas 21.00 horas poderá assistir a um concerto intimista e diferente. Camané vai dar largas à sua encorpada voz e dar-nos um banho de música, entre Frank Sinatra, Divine Comedy e Tony de Matos, este espectáculo vai ser com certeza uma agradável surpresa.
Para mais informações contacte 21 325 76 50

Sintra vira Megajardim
Sim, é isso mesmo, entre amanhã e o feriado de dia 1 de Maio, vai poder ver Sintra ainda mais bonita. Como?
Na segunda edição de "Sintra em flor" vai poder apreciar o caminho entre a Volta do Duche e o Palácio da Vila decorado com fantásticas flores.
É desta que o IC19 vai encher e "rebentar" as costuras...

Um bom fim-de-semana.

terça-feira, abril 24, 2007

“Encontro com o passado” – Parte II

(...) Quando cheguei a casa nessa noite sentia-me um homem novo, para ficar bem (...) só faltava a presença da minha mulher. Foi mais uma noite em branco que passei sentado na mesa da sala, já era madrugada quando tomei conhecimento que os presos políticos iriam ser libertados dentro de algumas horas.
Finalmente, finalmente a liberdade. (...)
No dia 26 lá fomos nós para Peniche, eu, o meu filho e a minha mãe, (...) queríamos estar todos presentes para mostrar a Paula, o quanto sentíamos a falta dela.
Já era madrugada quando começaram a sair os primeiros presos, entre homens e mulheres os meus olhos percorriam aquela pequena multidão para encontrar a minha mulher. Quando os meus olhos a encontraram finalmente, senti o coração disparar, emoção como essa não me lembro de ter na minha vida.
Tanto tempo, tanto tempo perdido, jurei a mim mesmo naquela hora, recuperar todo esse tempo em que não estivemos juntos.

(Por entre vozes de ordem dá-se o reencontro das personagens em palco)


António – Paula!
Pedro – Mãe!
Mãe – Paulinha!
Paula – Tó que saudades! Como é que vocês estão?
António – Estamos bem! E tu como te sentes? Eles fizeram-te mal?
Pedro – Mãe, tinha tantas saudades tuas!
Mãe – Paulinha, filha fizeste - nos tanta falta...
Paula – Mas agora, já aqui estou com vocês, agora só quero esquecer que isto aconteceu nas nossas vidas, temos de avançar, o caminho agora é em frente!

(...) esta revolução veio modificar muitas coisas em Portugal, como acabar com a falta de liberdade de expressão, pois sem isso, eu não estaria aqui esta noite com certeza a fazer este programa.
Essa mesma liberdade, que hoje por vezes chega até a ser exagerada e que nos faz assistir a situações embaraçosas, (...)
Pode ser saudosismo da minha parte, mas da mesma maneira que se ouve pessoas a dizer que “no tempo do outro senhor é que era bom”, quem já não pensou se Portugal não necessitava de um novo 25 de Abril?”

“Encontro com o passado” – Parte I

Para festejar o 25 de Abril deixo-vos um excerto da peça “Encontro com o Passado” que escrevi em Outubro de 2001.
A peça conta a história de um locutor de rádio que se encontra a fazer na noite de 24 para 25 de Abril do tempo actual, o seu programa de rádio “Encontros com o passado”.
Neste programa ele conta a sua vida pessoal desde 1961 até 1974. Deixo aqui uma chamada de atenção que isto é um texto de ficção baseado em factos reais, no entanto existe aqui factos que podem não corresponder à realidade, como por exemplo ter existido mulheres na prisão de Peniche.
Este texto que vos deixo faz parte da última parte da peça.


“(...) Eu soube do que se passou por mero acaso, nessa noite depois do meu filho e da minha mãe estarem a dormir, sentia-me um solitário e resolvi sentar-me na sala, tendo por companhia apenas o meu rádio de pilhas.
A minha paixão pela rádio nasceu no tempo em que estive preso, pois durante muito tempo não tive acesso a ouvir música, apesar de vez em quando, ouvir muito longe um rádio a funcionar, (...) o do guarda de serviço. (...) Então comecei a trazer comigo, esse pequeno rádio que ainda hoje guardo religiosamente. (...)
Foi o que aconteceu nessa noite, esse rádio foi a minha companhia, apesar de ter o meu filho e a minha mãe, sentia-me só sem ter a minha mulher comigo.
Sentia-me inquieto e comecei a andar ás voltas pela sala, na cozinha, fui até à janela, sentia o frio da noite a entrar pelos meus ossos, liguei o rádio que estava sintonizado no Rádio Clube Português e nunca pensei que o que ouviria a seguir, iria mudar o rumo da história para sempre.
O que ouvi (...) foram estas palavras “Faltam cinco minutos para as 23.00 horas. O Paulo de Carvalho com o Eurofestival 74 “E depois do Adeus”.
E foi assim, para mim aquele momento não tinha nada de especial, apesar de admitir que é uma música que mexe com o nosso interior, umas horas mais tarde viria a compreender que tinha sido o mote, para dar largas aos militares.
Continuei sentado a pensar na vida (...) comecei a mexer no rádio e por volta da meia –noite quando passava de rádio em rádio, no programa de poesia da Rádio Renascença, ouvi o locutor dizer com uma convicção fora do comum, “Grândola Vila Morena, terra da fraternidade, o povo é quem mais ordena dentro de ti ó cidade!”
(...) Resolvi sair, naquela madrugada quase não se via ninguém na rua, a não ser os amigos da boémia, comecei a andar pelas ruas, como se estivesse à espera que acontecesse alguma coisa e não é que aconteceu? Continuei a ouvir o meu rádio, quando estranhei que o Rádio Clube não passava qualquer música para além das Marchas Militares, quando perto das quatro e meia ouvi a voz de Joaquim Furtado a dizer:

“ Aqui Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas.
As Forças Armadas Portuguesas apelam para todos os habitantes da cidade de Lisboa no sentido de se recolherem a suas casas, nas quais de devem conservar com a máxima calma.
Esperando sinceramente que a gravidade da hora que vivemos não seja tristemente assinalada por qualquer acidente pessoal, para o que apelamos para o bom senso do comando das forças militares no sentido de serem evitados quaisquer confrontos com as Forças Armadas.
Tal confronto, além de desnecessário, só poderá conduzir a sérios prejuízos individuais, que enlutariam e criariam divisões entre os Portugueses, o que há que evitar a todo o custo.
Não obstante a expressa preocupação de não fazer correr a mínima gota de sangue de qualquer Português, apelamos para o espírito cívico e profissional da classe médica, esperando a sua ocorrência aos hospitais, a fim de prestar a sua eventual colaboração, o que se deseja sinceramente desnecessária.”

Eu não queria acreditar, já tinha vivido várias situações na minha vida, mas esta foi diferente, fiquei sem reacção durante uns momentos, sem conseguir pensar no que deveria fazer em seguida, se voltar para casa, se...sei lá... quando de repente vejo passar uns quantos militares por mim e penso que afinal é verdade, eles estão mesmo a falar a sério. Começo a andar pelas ruas, acabei por ir parar ao Terreiro do Paço já era quase manhã, quando vi militares entendi que era ali que tudo ia começar.
Comecei a ver pessoas a sair, Lisboa tinha acordado para 1º dia do resto das nossas vidas.
Os militares impediam a passagem de quem vinha trabalhar, os poucos comerciantes que abriram, no fim da manhã acabaram por fechar portas. O povo estava na rua, por toda a parte ouvia-se “Abaixo o Fascismo! Vitória, Vitória! O Povo Unido jamais será vencido!” (...)

domingo, abril 22, 2007

38 Anos depois...

Fez esta semana que passou 38 anos, que o meu pai embarcou rumo a Angola na 20ª Companhia de Comandos, esta companhia teve como Madrinha de Guerra a cantora Tonicha, esta situação aconteceu pois o irmão da cantora seguia na mesma companhia.
Ao fim destes anos todos, consegui finalmente convence-lo a procurar colegas da companhia e é nesse sentido que deixo hoje aqui este pos’ t.
Em baixo deixo duas fotos e a descrição possível de cada:

I Foto : I Grupo da 20ª Companhia Comandos - 1969:
(Existe um homem deste grupo que o meu pai não me deu o nome)
- Feijão
- Zé Cabaços (2º a contar da direita)
- Ruivo da Neves
- Zé Gomes
- Sousa Cardoso

II Foto: CCAC 106 do R 20 Caipemba – 1970
Este Grupo foi formado temporariamente (2 meses) para uma
operação em Caipemba, logo o meu pai não me soube dizer o nome das pessoas ao certo.

Caso reconheçam familiares vossos e queiram entrar em contacto por favor façam-no através deste blog ou para o meu e-mail
sandra.cabacos@gmail.com .
Este é um assunto sério, delicado e que mexe com sentimentos guardados há muitos anos, logo dispenso brincadeiras e acredito que vou encontrar alguém que se reconheça numa destas fotos.
Obrigado a todos.

sexta-feira, abril 20, 2007

Sugestões para o fim-de-semana

As minhas sugestões para este fim-de-semana, serão também sugestões para terça e quarta-feira porque se festeja o 25 de Abril.

Encontro Nacional de Jogos Tradicionais
Nos 21 (todo o dia) e 22 ( de manhã) no Hipódromo Municipal Manuel Possolo, vai poder voltar à sua infância e jogar quem sabe ao pião, saltar á corda, fazer uma corrida de sacos, jogar à laranjinha, entre muitos outros jogos.
Faça a sua inscrição no nº telefone 214825556

7ª Mostra de Teatro de Amadores do Concelho de Cascais
No dia 20 pode assistir:
Na Escola Secundária da Cidadela pelas 15.30 horas a estreia da peça “ Bob Marley procura-se” pelo Faz de Conta – Grupo de Teatro dos alunos do 7º C da mesma escola

Na mesma escola pelas 16.00 horas, a peça “ A fórmula roubada” pelo S/Cem Caras – Grupo de Teatro dos alunos do 7º E .

Na Sociedade Musical União Paredense pelas 21.30 horas, a peça “O Auto da Barca do Inferno” pela Companhia de Teatro da mesma colectividade.

No Auditório da Escola Secundária Fernando Lopes Graça pelas 21.30 horas, a peça “My Fair Lady” pela Companhia de Teatro da mesma escola.

Na Escola Salesiana de Manique pelas 21.30 horas, a peça “A Febre do Hip Hop” pelo Grupo de Teatro da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo.

No dia 21 na Sociedade Familiar e Recreativa da Malveira da Serra pelas 21.30, a peça “A Rainha do Ferro-Velho” pelo Grupo Cénico da mesma colectividade.

No dia 22 no Grupo de Instrução Musical e Beneficência da Rebelva pelas 16.30 horas, a peça “Duas Mulheres” pelo Grupo de Teatro da mesma colectividade.

45 Anos de cantigas, é “muito tempo...”
Paulo de Carvalho faz este ano, 45 anos a cantar e vai comemorar essa data num espectáculo dia 21 pelas 21.30 Horas no Teatro Municipal de Almada.
Com participações especiais de Mafalda Sacchetti e Agir.
Sem dúvida a não perder.
Para mais informações telefone para 212739360

Rita Guerra – 125 anos de carreira. Já ??
Esta cantora comemora os seus 25 anos de carreira com uma Tour de nome “Deixa-me sonhar”, o primeiro espectáculo será dia 24 pelas 21.30 horas no CC Olga Cadaval em Sintra.
Para além desta Tour a cantora lança também um novo álbum, a edição da sua biografia e ainda a inauguração do seu site.
Então... muitos parabéns pela carreira e por ter sido mãe há pouco tempo.

E se de repente lhe oferecem-se...
... Abraços? É isso mesmo, no dia 21 pelas 15 horas vão oferecer-lhe abraços no Rossio. Free Hugs é o nome do movimento que percorre toda a Europa a oferecer a sua filosofia que tenta “unir as pessoas e passar-lhe os verdadeiros valores morais” ( in Jornal Metro).
Para saber mais informações visite o blog :
http://freehugsatlisbon.blogsopt.com

Os sabores de Penela...
Este fim-de-semana e até dia 25 pode visitar no Pavilhão Multiusos a II Mostra de Produtos Endógenos e a Festa da Gastronomia de Penela.
Aqui pode encontrar e provar produtos típicos desta região tal como: Mel, azeite, o queijo Rabaçal e provar também pratos típicos tais como: Truta com presunto, Javali com castanhas e nos doces: Mousse de Castanhas e Requeijão com doce de abóbora.
Lá se vai a dieta e as horas perdidas no ginásio...
Para saber mais visite
www.lifecooler.com

Liberdade de Expressão
O Grupo de Teatro G.B. 22 de Maio de 1925 apresenta pelas comemorações d0 33º ano do 25 de Abril, o espectáculo “Liberdade de Expressão”.
Reunindo várias artes de palco, vão surpreende-lo, vão faze-lo rir a falar de assuntos sérios, vão faze-lo chorar e revoltar também, sem cores nem crenças libertando a expressão que há si.
Dia 24 de Abril de 2007 pelas 22.30 horas, no salão de festas do G.B. 22 de Maio de 1925 na Idanha.

Um Bom Fim-de-semana...

terça-feira, abril 17, 2007

Por Entre Tachos e Panelas

Olá a todos! Esta semana trago 1 receita da cozinha chinesa, apesar de se falar de situações complicadas relativas a restaurantes chineses, eu continuo a gostar e a comer comida chinesa. O meu prato favorito é galinha com amêndoas, no entanto deixo-vos uma receita de camarões.

Camarão Doce e Ácido
Ingredientes:
- 450 gr. de Camarão
- Óleo q.b. para fritar
- 1 Ovo
- Meia chávena de farinha
- Meia colher de sal
- 2 Colheres de sopa de água

Preparação:
Lavam-se os camarões, tira-se a casca e a tripa que tem ao meio. Com uma faca abrem-se ao meio pelas costas, mas não os separe completamente.
Bate-se o ovo, a farinha, o sal e a água até ficar um polme lisa sem grumos.
Passa-se os camarões um a um neste polme e frita-se no óleo até ficarem louros. Deixe secar bem em papel absorvente.

Ingredientes do molho:
- 1 Chávena de vinagre
- 1 Chávena de açúcar mascavado
- 1 Chávena de água
- 3 Colheres de sopa de polpa de tomate
- Meia colher de chá de sal
- Pimenta q.b.
- 2 Chávenas de ananás desfiado
- 2 Pimentos cortados na Diagonal
- 2 Tomates cortados em fatias
- 1 Colher de sopa de Maizena

Preparação:
Numa panela coloca-se o vinagre, o açúcar, a água, o molho de tomate, sal, pimenta, ananás, os pimentos e as rodelas de tomate. Deixa-se levantar fervura. Mistura-se a Maizena em 2 colheres de água e mistura-se no preparado anterior e deixa-se ferver 1 minuto.
Bom apetite

sábado, abril 14, 2007

quinta-feira, abril 12, 2007

Sugestões para o fim-de-semana

7ª Mostra de Teatro de Amadores do Concelho de Cascais
A 13 de Abril o Grupo de Teatro – Espaço Sénior do Centro Comunitário de Carcavelos apresenta pelas 15.00 horas a peça “Bodas de Prata” de Agostinho Velez no mesmo espaço que representam.

A 13 de Abril o TeatrAmor - Grupo Cénico do Grupo Desportivo do Zambujeiro apresenta pelas 21.30 Horas a peça “Seis mulheres sob escuta” de Jaime Rocha no mesmo espaço que representam.

A 14 de Abril o Grupo Cénico da Sociedade de Instrução e Recreio de Janes e Malveira apresenta pelas 21.30 horas a peça “As sobrinhas” de Jaime Salazar Sampaio no mesmo espaço que representam.

O Principezinho
No sábado pelas 15.00 horas, no Politeama em Lisboa, pode assistir á peça de Teatro “O Principezinho” de Antoine Saint-Exupéry encenada por Felipe La Féria. Este espectáculo é dedicado à Associação de Ajuda ao Recém-Nascido.

“Apassionata”
Se gosta de arte equestre não vai querer perder este espectáculo que vai reunir um pouco de tudo, desde dança, acrobacia, efeitos audiovisuais, canto lírico e a actuação de cavalos de várias raças incluindo a Lusitana.
Sexta às 21.30 horas e sábado às 15.00 e 21.30 horas.
Os bilhetes custam entre € 20,00 e € 55,00
No Campo Pequeno.

Abram Alas ao Noddy...
Se têm crianças pequenas e elas sabem as canções e as histórias do Noddy de trás para a frente e de frente...enfim...de 11 a 29 de Abril no LouresShopping e no RioSulShopping pode levá-las a ver o seu amiguinho preferido.

Um Bom Fim-de-semana...

terça-feira, abril 10, 2007

Catarina Eufémia Baleizão

Nas lutas que antecederam a Revolução dos Cravos, existe várias personalidades que de algum modo ficaram ligados a ela, os que cantavam a revolta ainda que discretamente, poetas que escreviam nas entrelinhas e políticos que foram forçados a fugir de um pais que era controlado pelo lápis azul.
Para além de figuras públicas, existiam anónimos que de alguma forma deram também a sua contribuição, um desses anónimos foi Catarina Eufémia, o seu nome pode até ser desconhecido para alguns nos dias de hoje, mas foi esta mulher que ficou a ser um ícone da luta dos trabalhadores agrícolas no Alentejo.

Existe muitas histórias contadas em redor desta mulher, muitas que não correspondem á realidade.
Catarina Eufémia morreu a 19 de Maio de 1954, assassinada a tiro na aldeia de Baleizão aquando uma greve de trabalhadores agrícolas que reivindicavam entre outras coisas o aumento da jorna sazonal.

Ao contrário do que conta a história, o médico que a autopsiou confirma uns anos depois, que Catarina não estava grávida quando se deu a sua morte.
Se esta é a verdade ou não, agora não interessa discutir, interessa sim lembrar uma mulher que apesar de não ter conhecimento político da causa, sabia o que vivia e como sobrevivia ás custas de trabalhar de sol a sol tendo apenas como recompensa um modesto, se não quase inexistente salário e que mal dava para fazer umas sopas de cebola.
Mais tarde, esta história inspirou muita gente, tal como José Morale na peça de Teatro “Ao Atiçar do Lume” e também Zeca Afonso nesta canção.


Cantiga do Monte

Chamava-se Catarina
O Alentejo a viu nascer
Serranas viram-na em vida
Baleizão a viu morrer
Ceifeiras na manhã fria
Flores na campa lhe vão por
Ficou vermelha a campina
Do sangue que então brotou
Acalma o furor campina
Que o teu pranto não findou
Quem viu morrer Catarina
Não perdoa a quem matou
Aquela pomba tão branca
Todos a querem p'ra si
Alentejo queimado
Ningéum se lembra de ti
Aquela andorinha negra
Bate as asas p'ra voar
Alentejo esquecido
Inda um dia hás-de cantar

Por Entre Tachos e Panelas

Olá a todos! Esta semana e continuando com o que tinha prometido, deixo aqui 2 receitas da cozinha internacional, desta vez de Moçambique.
Estas receitas foram retiradas do livro “Coisas Boas”.

Frango Abafado
Ingredientes:
- 1 Frango com cerca de 1,5 Kg
- 150 gr. Presunto
- 4 Tomates
- 10 Cebolinhas pequenas
- 125 gr. Margarina
- 2 Colheres de chá de Mostarda
- 2 Dentes Alho esmagados
- 1 Cálice de Cerveja
- 2 Cálices de Aguardente Velha
- Pimenta e sal q.b.

Preparação:
Depois do frango lavado e cortado, leva-se ao forno num tacho de barro tapado com todos os temperos. Quando estiver cozido destape para alourar o frango.
Este prato pode ser servido no próprio tacho com arroz branco e salada.
Bom apetite

Sobremesa de Abacate
Ingredientes:
- 2 Abacates bem desfeitos
- Sumo de 2 Tangerinas
- Açúcar q.b.
- Canela para polvilhar

Preparação:
Mistura-se tudo, coloca-se numa taça e polvilha-se com canela, leva-se ao frigorífico a gelar.
Bom apetite.

domingo, abril 08, 2007

A Guerra Colonial - Parte 2

Uns anos mais tarde, voltei a mexer neste tema quando escrevi a minha 1ª peça de Teatro, a ideia era retratar em palco os anos entre 1961 e 1974.
Eu tinha as bases, mas ansiava algo mais, então fui a uma biblioteca e fui pesquisar uma enciclopédia (Os anos da guerra) sobre o tema, pesquisei na internet, encontrei muitas coisas e pela 1ª vez tive coragem de ir a Belém, ao muro não das recordações mas das lamentações e senti vergonha, senti um aperto muito grande na minha garganta e no peito, porque apesar de ter o meu pai comigo, são e salvo, inteiro, imagino o que vai na cabeça de tantas famílias que ficaram despedaçadas e que em muitos casos não tiveram sequer um corpo para chorar e em troca dessa vida deram-lhes apenas uma cruz de guerra...
Nesse dia compreendi o porquê de o meu pai chorar sempre que vê imagens da Guerra Colonial na televisão, o porquê de aquele livro vermelho em que se vê imagens inenarráveis estar guardado (mas que eu descobri e vi com os meus próprios olhos), compreendi a revolta que o meu pai tinha sempre que eu lhe dizia que me ia alistar na tropa, compreendi isso e muitas outras coisas...
Posso estar enganada, mas para mim esta Guerra foi a farsa, se não a maior farsa da ditadura salazarista.
E aqueles que votaram como melhor português Salazar, de certo que têm uma memória muito curta, ou então não andaram pelo meio do capim, não “tiveram que matar para não morrer”, não estão cegos porque uma bala lhes trespassou um olho, não estão numa cadeira de rodas porque caíram numa emboscada ou porque estavam a desamardilhar uma mina...enfim, de qualquer maneira é sempre importante lembrar que devemos estar orgulhosos, afinal foram servir a Pátria! E a Pátria quando é que os serviu e eles?

A Guerra Colonial - Parte 1

Sempre que leio estas palavras, á minha memória só me vem as imagens e algumas palavras que li e que leio sempre que abordo este tema, seja na internet, num livro, na televisão ou quando falo com alguém que por lá andou e acreditem que se nunca tiveram curiosidade de abordar este tema mais a fundo, não o façam, pois correm o risco de vos acontecer o que aconteceu a mim, ficarem incomodados, agoniados com coisas que muitos querem esconder e que “envergonham” de certa forma Portugal.
Na altura que eu estudei esta fase da história de Portugal, vivi uma situação caricata, foi pedido um trabalho sobre a Guerra Colonial e eu perguntei ao professor se poderia fazer sobre Angola, uma vez que material não me faltava, o meu pai esteve lá, em casa tenho algumas dezenas de fotos, aerogramas que o meu pai enviava para a minha mãe, etc. E assim foi fiz o trabalho, o problema foi quando chegou a altura de o apresentar, é que eu tinha mexido em coisas que não eram para mexer, toquei em pontos que não interessavam, tipo os assaltos que faziam ás aldeias onde queimavam tudo, matavam, violavam e mais não digo... sei, que comprei uma guerra com o professor e só não houve repercussões mais graves, porque a minha directora de turma interveio a tempo. Nunca mais pude ver aquele homem com bons olhos e ele a mim...nem falo.

sexta-feira, abril 06, 2007

Because I Love you...

Hoje ouvi isto no rádio de manhã e achei fantástico....há já alguns anos que não ouvia esta música.
Para o meu lindo....


Because I Love You...

I got your letter from the postman just the other day
And so I decided to write you this song
Just to let you know, exactly the way
I feelTo let you know my love's so real ...

Because I love you,
I'll do anything
I'll give you my heart, my everything
Because I love you,
I'll be right by your side
To be a light, to be your guide

If you should feel that
I don't really care
And that you're starting to lose ground
Let me reassure you that you can count on me
And that I'll always be around

Because I love you, my heart's an open door
So won't you please come on in
Because I love you,
I'll be right by your side
To be a light, to be your guide

A Assapar no Autódromo...




Olá, nas sugestões para o fim-de-semana de Páscoa, falei deste evento que se passava no Autódromo do Estoril, contra todas as minhas expectativas foi muito giro, bem organizado e com muito público aderente.
Começei por pensar que ia acontecer um género de enchente e que o trânsito estaria caótico, mas como é muito bom estar na caminha até ás 11 da manhã e também há muitas pessoas fora, não houve confusão nenhuma, entramos, alugamos as bicicletes demos 2 voltas ao autódromo e eu por algumas vezes fiquei com os "bofes de fora", mas também ainda não estou refeita da constipação e o vento nesta zona é bastante...logo... só fiquei com pena de uma coisa é que mais uma vez não experimentei os patins em linha.
Fica aqui as imagens de uma manhã diferente e muito divertida...

quarta-feira, abril 04, 2007

No Comment's

Obrigada Hildinha pelo mail...

Sugestões para o fim-de-semana de Páscoa

“Assapar” no Autódromo do Estoril
Sim, sim no autódromo do Estoril, só que em vez de carro, a pé, de bicicleta, de trotinete, patins em linha, skate, etc... na sexta-feira pelas 10.00 horas venha correr nesta pista e respirar o ar puro da Serra de Sintra.
Pode deixar em casa os tampões para os ouvidos, porque desta vez o único barulho que vai ouvir é o da boa disposição.

Ser Radical no Allgarve
Encontra-se no Allgarve este fim-de-semana? Então aproveite ainda ser português e seja radical, visite a Marina de Albufeira e vá experimentar a sensação de fazer Paintball, slide, rappel, escalada ou tiro ou arco.
Até dia 14 de Abril.

Subir o Rio Sado
Este domingo entre as 10.30 e as 22.00 horas vai realizar-se um passeio para poder observar a fauna do rio Sado, entre golfinhos, cegonhas, flamingos rosa, garças, este passeio vai ser feito entre Setúbal a Alcácer do Sal.

Crazy Horse no Auditório
Numa ode ao corpo e á beleza feminina, chegou a Portugal o espectáculo Crazy Horse. Elegância em conjunto com poesia e estética de palco fazem deste espectáculo um dos mais vistos em todo o mundo há pelo menos 55 anos.
A não perder, terça, quarta e domingo ás 22.00 horas e sexta e sábado ás 20.30 e 23.30 horas.

Por último esqueça a dieta por 3 dias e coma amêndoas, ovos de chocolate, folar, mas tenha cuidado com os frangos, porque para além da gripe agora também podem trazer salmonelas...qualquer dia... ficamos de dieta e começamos a comer ar...
Boa Páscoa.

Musicas de Antigamente

As musicas que se ouviam antes de eu nascer, e quando falo nisto, não falo só as da geração de 70, falo mesmo das anteriores a essas, quando eu as oiço hoje, têm para mim um sentido diferente que têm qualquer música dos nossos dias de hoje.
Para mim parecem-me mais reais, que falam de sentimentos mais verdadeiros, que não são feitas apenas e só para encher um disco.
Palavras como “Eu em troca de nada/ Dei tudo na vida/ Bandeira vencida/Rasgada no chão/ Sou a data esquecida/ A coisa perdida que vai a leilão.” (Sol de Inverno – Simone Oliveira)

Mesmo os fados da Amália, as canções brejeiras das revistas á Portuguesa, tinham uma sonoridade diferente.
Também há músicas que eu não gosto e uma delas é a “Oração” do António Calvário. A minha mãe ficava “fula” quando eu dizia isto, mas não gosto pronto, acho que a música é muito forçada.
No entanto, ainda hoje gosto de ouvir a voz inconfundível do Tony de Matos.
Agora quem é que se lembra do Max, e da “Mula da Cooperativa”? E a “Pomba Branca”?



Quando se ouve músicas destas é impossível não esboçar um sorriso e muitas vezes até bater com o pézinho no chão.

Por Entre Tachos e Panelas

Esta semana tal como a anterior vou deixar duas propostas para o fim-de-semana de Páscoa. A de carne, para apreciadores de Picanha e nos doces uma tarte de limão e umas amêndoas diferentes.

Picanha no forno

Ingredientes:
- 1 Peça de Picanha inteira (nos hipermercados encontra facilmente)
- Vinho Branco q.b.
- Sumo de 1 Limão
- 3 Alhos
- Ervas Aromáticas para carne no forno q.b.
- Massa de Pimentão q.b.
- 1 Caldo de galinha ou de carne
- Molho inglês q.b.
- Margarina q.b. ou azeite q,b.
- 6 Cebolinhas pequenas
- 1 Cenoura Grande

Preparação:
Lave a carne, mas não lhe retire a gordura própria, pois ao assar é esta gordura que vai fazer a carne não ficar tão seca. Coloque a carne numa assadeira.
Prepare o molho com o vinho branco, o sumo de limão, os alhos picados, as ervas aromáticas, a massa de pimentão, o caldo de galinha (que pode ser desfeito ao lume, num pouco de vinho branco), o molho inglês.
Corte a carne superficialmente com uma boa faca, deite por cima a margarina em bocadinhos ou o azeite e nos intervalos da carne coloque algumas fatias da cenoura e algumas cebolinhas, o resto que sobrar coloque na assadeira.
Deite o molho preparado anteriormente, deixe a marinar de um dia para o outro. Leve ao forno.
Se o molho secar, aqueça um pouco de vinho branco e vá regando o assado.
Sirva com arroz e uma salada.
Bom apetite.

Tarte de Limão Merengada
(Esta receita foi retirada da revista Mulher Moderna nº 132 - Março 2007)
Ingredientes para a base:
- 250 gr. Bolacha Maria
- 200gr. Margarina
- 50 gr. Miolo de Avelã

Preparação:
Esmague as bolachas, junte-lhes a margarina derretida e o miolo de avelã e mexa bem até obter uma massa. Forre uma tarteira de fundo amovível com esta massa e pressione bem, leve ao congelador cerca de 30 minutos.

Ingredientes do Recheio da Tarte:
- 1 Lata de Leite Condensado
- 1 Limão Grande
- 2 Ovos
- 70 gr. Açúcar

Preparação:
Misture bem o leite condensado com o sumo e a casca do limão. Junte –lhe as gemas batendo bem entre cada gema adicionada. Verta este creme sobre a massa que já está na tarteira e leve ao forno cerca de 25 minutos a 180º.
Bata as claras em castelo, juntamente com o açúcar, até obter um merengue, coloque-o por cima da tarte e leve a gratinar ao forno.
Esta tarte pode ser feita com laranja, tangerina... vai da imaginação de cada um.
Bom apetite.

Amêndoas com caramelo e natas
(Esta receita foi retirada da revista Mulher Moderna nº 132 - Março 2007)
Ingredientes:
-200 gr. Açúcar
- 5 Colheres de sopa de água
- 1 dl de Natas
- 200 gr. Amêndoas com pele
- Óleo para untar

Preparação:
Leve o açúcar salpicado com água a lume brando numa frigideira. Deixe-o alourar, até obter um caramelo. Junte as natas aos poucos, mexendo sempre com uma colher de pau. Sem parar de mexer, junte as amêndoas, deixe ferver uns instantes e apague o lume.
Com a ajuda de um garfo, tire montinhos de amêndoas e coloque-os num prato grande, previamente untado com óleo. Deixe secar e sirva em taçinhas ou então dentro de formas de papel.
Bom apetite.


domingo, abril 01, 2007

No comment´s!

Imagem in http://www.worth1000.com/

A secção dos "No Comment´s" vão começar a figurar também aqui no Bluestrass.

Uma imagem, um vídeo, um texto, tudo o que seja diferente, de vez em quando vou publicar aqui... Espero que gostem...

Hoje é um gato curioso a espreitar á fechadura...