sexta-feira, julho 13, 2007

Cuidado com os trabalhos duvidosos....

No Jornal “Metro” de ontem na rubrica “Pergunta do dia”, a pergunta era “Já trabalhou em “call center”? Se precisasse, escolheria este tipo de emprego?”
Assim que vi a pergunta, comecei logo a rir.
A maneira como a pergunta é feita já subentende algo de estranho.
Trabalhar num “call center” deve ser algo pavoroso, mas não... ou seja, depende que tipo de “call center” em que se trabalha.
O “call center” que eu conheço e que trabalhei lá durante quase cerca de três anos, é de telecomunicações, no entanto existe também os de telemarketing e dezenas de outros serviços que funcionam dessa maneira.
Lógico, que depois também existem os “outros”, ou seja os das linhas “fantásticamente eróticas”. Se calhar quando alguém fala desses sítios com sendo “sítios muito duvidosos”, são capazes de se estarem a referir a estes últimos. Passando à frente...
Eu nunca fiz telemarketing, mas admiro quem o faz, quem consegue transmitir ao cliente a certeza de que o produto que está a vender é bom. Faz-me lembrar uma história que o meu pai conta muitas vezes, que era ele dizer às clientes da drogaria onde ele trabalhou aos 15 anos, que usava cerca de 10 pastas dentífricas, tal como a essência do perfume que a senhora acabava de experimentar, era a última moda das madames da alta sociedade, quando o produto já devia ter cerca de 4 anos na prateleira da loja, lolol.
Bem, mas voltando à questão dos call centers, quem trabalha nesses sítios ouve um pouco de tudo, quase faz papel de psiquiatra, acreditem que se apanha com cada um do outro lado da linha...
Portanto, desmistificando a questão dos “call centers”, na minha opinião não são sítios duvidosos, são locais como quaisquer outros, onde trabalha muita gente e onde também há muita gente que se “encosta”, ahhhh, pois desculpem lá, mas fugiu-me as teclas para a verdade.
Quem neste momento se encontra desempregado e sem perspectivas de vida, pense em trabalhar num local destes, pelo menos mantêm a cabeça ocupada e quando voltar a ligar para uma destas linhas de apoio ao cliente, talvez passe a ter um bocadinho mais de respeito por quem lá trabalha...

Sem comentários: