terça-feira, junho 05, 2007

Uma carta de amor...

Escrever uma carta de amor, será que ainda alguém se lembra de como se faz isso? Eu acho que nunca escrevi nenhuma. Em tempos que já lá vão há muito tempo, os nossos avós é que as escreviam primorosamente.
Se eu escrevesse uma como é que seria? É difícil....

“Amor, como é difícil explicar o inexplicável... como é complicado descrever algo que nos preenche o peito dando-nos força para tudo.
Embora ás vezes pareça que não, essa força, esse calor está lá não nos deixando cair por completo...
Nos momentos que estamos longe fisicamente um do outro, existe sempre um sinal que me dá conta que estás ali perto... em pensamento!
Um arrepio na espinha, a pele a ficar “galinha” e quem sabe mais o quê.
Mas estás lá, eu sinto, fazes-me mover, fazes-me correr atrás do perfeito imperfeito que a vida ao nosso redor é...
Em horas mortas, tu és o minuto que dá vida.
E nos momentos que nos unimos num abraço, tudo se completa, o beijo, o odor, a pele na pele, a mão na mão, tudo se funde num único sentimento... o amor!
Ao teu lado sou mais... mais feliz, mais humana, mais tudo... e principalmente mais mulher!
Tal como te disse uma vez...tenho uma coisa muito importante para te dizer... é que eu já não gosto de ti!!
Não, não te assustes, eu já não gosto de ti... porque cada vez te amo mais!”

Olha, afinal até consigo escrever uma carta de amor, sabes qual é o segredo?
É deixar voar as asas do coração...

Sem comentários: