sábado, agosto 26, 2006

Carlos Paião - A memória para sempre...

Ainda não refeita do choque do dia anterior, no dia 26 de Agosto de 1988, mais uma vez a minha mãe acorda-me para me dar mais uma notícia má... Carlos Paião tinha morrido, acho que fiquei sem palavras... levantei-me da cama, sentei-me na cozinha com o pequeno almoço á frente, mas a única coisa que eu conseguia engolir eram as minhas lágrimas... hoje até parece um exagero falar disto, mas Carlos Paião era um dos meus ídolos, sabia as canções dele quase todas....fiquei desfeita, recusei-me a ver as notícias que falavam do acidente, queria fingir que não se tinha passado nada. Uns tempos depois quando se ouviu falar de uma situação que ainda hoje não está esclarecida (e que eu prefiro nem saber se ficou ou não), a partir daí decidi continuar a ver e a ouvir apenas o que me interessa da carreira de Carlos Paião, há tantas coisas boas para recordar dele, a sua musica, a sua alegria que provava que gostava do que fazia...enfim, deixo aqui a letra de uma canção, que é uma das que mais marcou a minha infância e provavelmente a infância de muita gente.

Carlos Paião - Cinderela by Carlos Paião
Eles são duas crianças a viver esperanças, a saber sorrir.
Ela tem cabelos louros, ele tem tesouros para repartir.
Numa outra brincadeira passam mesmo à beira sempre sem falar.
Uns olhares envergonhados e são namorados sem ninguém pensar.

Foram juntos outro dia, como por magia, no autocarro, em pé.
Ele lá lhe disse, a medo: "O meu nome é Pedro e o teu qual é?"
Ela corou um pouquinho e respondeu baixinho: "Sou a Cinderela".
Quando a noite o envolveu ele adormeceu e sonhou com ela...

[Refrão]
Então,
Bate, bate coração
Louco, louco de ilusão
A idade assim não tem valor.
Crescer,
vai dar tempo p'ra aprender,
Vai dar jeito p'ra viver
O teu primeiro amor.

Cinderela das histórias a avivar memórias, a deixar mistério
Já o fez andar na lua, no meio da rua e a chover a sério.
Ela, quando lá o viu, encharcado e frio, quase o abraçou.
Com a cara assim molhada ninguém deu por nada, ele até
chorou...

[Refrão]

E agora, nos recreios, dão os seus passeios, fazem muitos
planos.
E dividem a merenda, tal como uma prenda que se dá nos anos.
E, num desses bons momentos, houve sentimentos a falar por si.
Ele pegou na mão dela: "Sabes Cinderela, eu gosto de ti..."

[Refrão]

Autor: Carlos Paião

1 comentário:

Sandra Silva disse...

Olá Sandra, obrigado pelo teu comentário no meu cantinho...

Eu nunca tive oportunidade de ver Carlos Paião, quando ele tristemente morreu eu tinha um anito... mas desde pequena que oiço as musicas dele e não tenho vergonha de o dizer....

Cinderela é sem duvida uma linda canção... a letra é magnifica... ele era um génio... não é a toa que que o idolatram ... passado tanto tempo ainda o recordam com carinho....

Gostei muito do teu post.... vou visitar-te mais vezes.... ;)
Bjs (Lara_Croft (Sandra) Da ptgate)